Paraná News

“Vamos ter pedágios, mas não serão abusivos”, afirma Sérgio Souza

https://parananews.net.br/wp-content/uploads/2021/04/pedagio.jpg

“Vamos ter pedágios, mas não serão abusivos”, afirma Sérgio Souza

As novas praças de pedágio no Estado do Paraná ainda são consideradas assuntos polêmicos, principalmente, na BR-467, trecho entre Toledo e Cascavel. Em visita ao Município, o deputado federal Sérgio Souza – relator do projeto – afirma que já solicitou a retirada desta praça do projeto.

Conforme Souza, as autoridades de Toledo estão envolvidas neste assunto. “O Município está localizado na região Oeste do Paraná e teve a tarifa mais cara nos últimos 24 anos; uma tarifa para trafegar em pista simples e ineficiente. Agora estuda a implantação de uma praça de pedágio, no mínimo, não poderá ser maior que R$ 1,50. Nós defendemos sem praça de pedágio entre Toledo e Cascavel; esse é o nosso ponto político”.

DIÁLOGO – Na ocasião, ele frisa que quando soube que o governo do então presidente Michel Temer faria uma medida provisória e encaminharia ao Congresso, articulou para que fosse encaminhado à Câmara e depois buscou meios para ser relator do projeto. “A minha meta era proibir a prorrogação dos pedágios no Paraná, porque existia a articulação para essa finalidade como para a prorrogação. Estive suscetível as pressões das Concessionárias. Se não fosse a nossa atuação, naquele momento, não estaríamos discutindo pedágio hoje”.

Ele defende que a tarifa pode ser cobrada, mas a pista também deve receber investimento, seja em contorno, obra de arte, viaduto, enfim. Sérgio Souza não admite que uma concessionária ofereça o menor preço durante o processo licitatório, porém a concessão inicia e já solicita aditivo. “É preciso ter garantia; o dinheiro deve ser depositado. Também não sou favorável ao pagamento de outorga. O povo é ‘dono da rodovia’, por meio do Estado. O contribuinte pagou para construí-la com os seus impostos. Nós pagamos 24 anos para fazerem as obras e muitos acordos no período retiraram as duplicações, porque como relator analisei todos os contratos e os aditivos”.

INVESTIMENTO – Conforme o deputado federal, o pedágio veio para ficar no Brasil e em qualquer lugar. “O País não tem mais recurso para investir como se tinha no passado. A máquina administrativa do governo ‘inchou’ tanto que ocupa 98% de tudo que se arrecada no país; sobra 2% para investimentos. Vamos ter pedágios, mas não serão abusivos”.

Sérgio Souza defende o sistema free flow. “Você entra na rodovia e pagará a quilometragem percorrida. Um projeto foi aprovado no Senado e chegou na Câmara dos Deputados neste mês. Estou reivindicando a relatoria deste projeto. A tarifa do pedágio deve ser justa e não exploratória”, conclui o deputado federal.

Jornal do Oeste

PATROCINADORES

.