Paraná News

Testemunha da Operação Pecúlio diz que réu lhe ofereceu suborno para silêncio

https://parananews.net.br/wp-content/uploads/2017/08/lg-71719eb6-244a-4bad-93f6-6422a7d645cf-1.jpeg

O ex-vereador de Itaipulândia e atualmente motorista de caminhões na Secretaria de Obras de Foz do Iguaçu, Adenir Gardini, prestou depoimento na tarde desta terça-feira (8) na Justiça Federal, como testemunha da Operação Pecúlio.

Durante a audiência, o ex-vereador disse que foi procurado por um representante do Réu Nilton João Beckers, que teria lhe oferecido mil reais para que ficasse em silêncio e não prestasse depoimento à Justiça.

O réu foi preso no dia 19 de abril do ano passado durante a Operação e foi liberado após assinar um acordo de delação premiada. Ele garantiu ter feito pagamentos ilegais ao ex-prefeito de Foz do Iguaçu, Reni Pereira, em contratos de obras da Prefeitura.

Durante o depoimento, Adenir garantiu que ao descobrir a fraude conversou com o réu que o orientou a ficar em silêncio. Ainda em depoimento, também disse que foi procurado por um advogado do ex-prefeito, mas não falou o assunto discutido, nem citou nomes.

O ex-prefeito Reni Pereira é apontado como líder de uma organização criminosa que fraudava e direcionava licitações de obras da prefeitura. Os crimes foram descobertos em abril do ano passado, no início da Operação Pecúlio da Polícia Federal. Nesta terça, o juiz também ouviu Sandro Lopes Ebbing, funcionário de carreira da prefeitura. Ele respondeu perguntas sobre o departamento de compras da prefeitura, onde já trabalhou. O setor foi apontado como desorganizado por colaboradores, nas investigações da Pecúlio. Sandro garantiu que os trabalhos de compras não eram irregulares. Outras 5 pessoas também prestaram depoimento.

Com informações de Márcio Falcão/Rede Massa

PATROCINADORES

.