Paraná News

Quadrilha disfarçada de Polícia Civil aborda motoristas compristas do Paraguai para assaltar toda mercadoria

https://parananews.net.br/wp-content/uploads/2018/02/Compristas.jpg
Imagem meramente ilustrativa

Eles atuam principalmente em Céu Azul, Matelândia, Medianeira, era Cruz do Oeste e Santa Helena

A Polícia Civil de Matelândia investiga uma quadrilha especializada em assaltos a compristas da região de Foz do Iguaçu.
Os marginais, que se passam por policiais civis, atuam principalmente nas cidades de Céu Azul, Matelândia, Medianeira, Santa Helena e Vera Cruz do Oeste.
Os criminosos se passam por policiais civis para agir
As investigações apontaram que o bando age sempre da mesma forma.
Com carros similares aos utilizados pela Polícia Civil, como Gol e Parati, e equipados com giroflex, os suspeitos dão voz de abordagem às vítimas.
Acreditando se tratar de policiais, os condutores param os veículos e são surpreendidos pelos criminosos.
De acordo com o delegado Edgar Dias Santana, o foco principal destes marginais são compristas que retornam do Paraguai.
Ele explica que os criminosos levam os veículos e as vítimas até um local onde a mercadoria é descarregada e em seguida abandonam os reféns e fogem.
O delegado conta que em um destes roubos uma das vítimas foi um PM.
Segundo Edgar Santana, há cerca de dois meses a Polícia Civil prendeu alguns envolvidos nestes crimes e identificou uma residência utilizada como depósito de mercadorias roubadas.
Estes crimes voltaram novamente a ocorrer com mais frequência, indicando que uma nova quadrilha começou a agir na região, especialmente em Céu Azul, Santa Helena e Santa Terezinha de Itaipu.
O delegado afirma que muitos dos roubos não são registrados, uma vez que as vítimas são compristas e têm receio em procurar a polícia.
Ressalta também que quem compra estes produtos roubados está sujeito a responder pelo crime de receptação, que prevê pena de reclusão de até quatro anos.
É preciso estar atento a estas mercadorias.
Santana acrescenta que, quando o produto é comercializado muito abaixo do preço de mercado, é um indicativo de que pode ter sido roubado.

PATROCINADORES

.