Florestas tropicais, conheça as maiores do mundo

https://parananews.net.br/wp-content/uploads/2019/09/florestas-1.jpg

aquecimento global explode. E elas vão para as manchetes de todos os jornais do mundo. Não se fala em outra coisa que não seja a sua diminuição. Bom pretexto para darmos um giro por elas. A expressão “floresta tropical” implica que estes são alguns dos ecossistemas mais úmidos do mundo. As florestas tropicais estão compreendidas na Terra entre as latitudes 22º Norte, e 22º Sul. O bioma tem quatro características principais: precipitação anual muito alta, altas temperaturas médias, solo pobre em nutrientes e grandes níveis de biodiversidade.

As maiores florestas tropicais ficam…

Na América do Sul…

A maior é a floresta que se estende por toda a bacia amazônica. A floresta amazônica engloba parte de nove países, Brasil, Peru, Colômbia, Venezuela, Equador, Bolívia, Guiana, Suriname e Guiana Francesa. O Brasil tem 60% da área florestal. O site do Ministério do Meio Ambiente informa: “a Amazônia é o maior bioma do Brasil. No território de 4.196.943 milhões de km2 (IBGE,2004) crescem 2.500 espécies de árvores (ou um-terço de toda a madeira tropical do mundo) e 30 mil espécies de plantas (das 100 mil da América do Sul).”

Na África

A floresta tropical do Congo é a segunda maior. Ocupa área de 1.780.000 km2 que cobre a bacia do rio Congo. É dividida igualmente por nove países, Angola, Camarões, República Centro-Africana, República Democrática do Congo, República do Congo, Burundi, Ruanda, Tanzânia e Zâmbia. Todos têm parte do seu território na Bacia do Congo. A floresta tropical do Congo “tem mais de 600 espécies de árvores e dezenas de milhares de espécies animais. Tem também um dos mais elevados teores de Carbono por hectare, por causa da elevada densidade da sua vegetação.”

Na Ásia

A terceira maior floresta tropical fica na Ásia, mais precisamente, Indonésia. O País é um arquipélago com milhares de ilhas (mais de 17 mil) que se estendem ao longo do equador. Outras fontes dizem que as florestas tropicas na Ásia  “se estendem da Índia para a Malásia. Essas florestas já foram as regiões mais biodiversas do mundo antes que grande parte da terra fosse desmatada para extração de madeira e agricultura. Hoje, a maioria das florestas tropicais da Ásia está espalhada pelas ilhas da Indonésia. Os especialistas acreditam que as florestas tropicais da Malásia já existiam há 100 milhões de anos.”

O que têm de especial as florestas tropicais do mundo

Apesar de abrangerem apenas cerca de 6% da área terrestre do mundo, biólogos estimam que as florestas tropicais contêm cerca de 50% das espécies de plantas e animais terrestres do planeta. Para não falar em minérios e outras riquezas. “Elas armazenam mais carbono do que outras florestas e são insubstituíveis quando se trata de sustentar a biodiversidade”. A Escola de Silvicultura e Estudos Ambientais de Yale determinou que todas as florestas tropicais combinadas contêm cerca de 25% do carbono mundial, com a bacia amazônica armazenando até 140 bilhões de toneladas (127 bilhões de toneladas). A American Forests estima que uma árvore madura absorva aproximadamente 48 libras (0,022 toneladas métricas) de dióxido de carbono a cada ano.

E o que está acontecendo com elas nos últimos 60 anos?

O site https://bizfluent.com, citando dados da Rain Forest Preservation Society relata que apenas 2,7 bilhões de acres dos 4 bilhões de acres originais de floresta tropical permanecem. Centenas de milhares de quilômetros quadrados são perdidos a cada ano.

O site da Comissão Europeia confirma ao dizer que “Nos últimos 60 anos, mais da metade das florestas tropicais do mundo foram destruídas. Embora o fenômeno não seja novo, a escala atual e o ritmo de destruição são alarmantes.”

‘Hipocrisia europeia

Para o jornal inglês, The Guardian, “É hipócrita para a Europa se apresentar como um líder climático, ao mesmo tempo em que faz pouco para diminuir seu apetite insaciável pelos frutos das florestas destruídas. Os desmatamentos para a produção agrícola, pecuária e biocombustível são de longe as maiores causas do desmatamento. E a Europa é o destino final de quase um quarto desses produtos – carne bovina, soja, óleo de palma e couro – que foram cultivados em terras desmatadas ilegalmente.”

A escala atual

“Em 2017, mais de um campo de futebol de floresta foi perdido a cada segundo – o segundo mais alto registrado desde 2001.”

O site https://www.bloomberg.com explica: “Usando dados da Universidade de Maryland, o grupo descobriu que cerca de 3,6 milhões de hectares  de floresta tropical primária desapareceram nem 2018. Enquanto isso ficou abaixo dos picos em 2016 e 2017, quando os incêndios ajudaram a empurrar a perda florestal para níveis recordes, ainda foi a terceira maior perda anual desde que os registros começaram em 2001.” E o site vai além: “A maior perda de terra de floresta primária no ano passado foi vista no Brasil, onde cerca de 1,35 milhão de hectares desapareceram, seguidos pela República Democrática do Congo, Indonésia, Colômbia e Bolívia.

Clique na imagem:

https://www.livescience.com diz que “O país com mais desmatamento é a Indonésia. Desde o século passado, a Indonésia perdeu pelo menos 39 milhões de acres (15,79 milhões de hectares) de terras florestais, de acordo com um estudo da Universidade de Maryland e do World Resource Institute.

Florestas tropicais afetam o clima no mundo

“As florestas afetam o clima de modo complexo. Envolvem processos simultaneamente físicos, químicos e biológicos, alterando o albedo da superfície terrestre e a composição da atmosfera. Portanto, os fluxos de energia solar, e o ciclo hidrológico através da evapotranspiração. Nas últimas décadas, o contributo das florestas para o sequestro do COtem merecido grande atenção, estimando-se que as florestas tropicais absorvam cerca de 1,3 mil milhões de toneladas de carbono por ano (Lewis et al., 2009; Schiermeier et al., 2009), uma quantidade equivalente a aproximadamente 20% das emissões resultantes da queima dos combustíveis fósseis. É isso que lhes confere um importante papel no combate ao aquecimento global e às alterações climáticas em curso.” A afirmação é de Fernando Santos Henriques, do Departamento de Ciências da Vida, Faculdade de Ciências e Tecnologia, Universidade Nova de Lisboa.

De quem é a culpa?

Não importa de quem seja. Não se trata de polemizar. Mas mostrar as perdas das florestas tropicais mundo afora. Se os atuais níveis de desmatamento continuarem, as florestas tropicais do mundo podem desaparecer completamente em menos de 100 anos, de acordo com a National Geographic. É preciso agir, e agir rápido. Só polemizar, como faz o atual governo, não levará a nada que não seja dividir ainda mais a população, e os agentes econômicos brasileiros.

Estadão

Facebook Twitter Google+ linkedin email More
Copyright © Paraná News - A Informação com Credibilidade e Imparcialidade!