Paraná News

Beija-Flor é campeã do Carnaval do Rio de Janeiro

https://parananews.net.br/wp-content/uploads/2018/02/Carnaval-1.jpg

Escola traçou um paralelo entre o romance “Frankenstein” e as mazelas sociais brasileiras

Última escola a desfilar na Marquês Sapucaí, a Beija-Flor de Nilópolis é a campeã do Carnaval do Rio de Janeiro em 2018. Com o enredo “Monstro é aquele que não sabe amar. Os filhos abandonados da pátria que os pariu”, a agremiação traçou um paralelo entre o romance “Frankenstein”, cuja publicação está completando 200 anos, e os “monstros nacionais”, chamando a atenção para as mazelas sociais do Brasil.

De tom político, o samba-enredo comandado por Neguinho da Beija-Flor abordou temas como a corrupção, a desigualdade e as intolerâncias, como a racial e a de gênero. A escola também tratou da violência, especialmente a vivida no Rio de Janeiro, mostrando, por exemplo, crianças em caixões.

Organizado de forma cronológica, o desfile recordou o romance da inglesa Mary Shelley e trouxe o ator Edson Celulari como o Dr. Frankenstein. Depois, analisou a criação do monstro e as origens de muitos problemas brasileiros, falando dos impostos, do sistema de saúde, da corrupção da Petrobras e trazendo uma ala que falava dos políticos vistos como seres que sugam o sangue do povo.

Entre as celebridades, também participaram da apresentação Claudia Raia, como “a grande anfitriã de celebração da paz”, Pablo Vittar e Jojo Todynho, ambas destaque na representação da luta contra a intolerância. Ao final do desfile, a Beija-Flor ainda abriu a avenida para o público, transformando a Sapucaí num bloco de rua com a multidão cantando o samba agora campeão.

Este é o 14º título da agremiação, que está comemorando 70 anos e havia vencido pela última vez em 2015. Naquele ano, o samba-enredo foi “Um griô conta a história: Um olhar sobre a África e o despontar da Guiné Equatorial. Caminhemos sobre a trilha de nossa felicidade”.

Desde que a escola passou avenida na madrugada de terça-feira, a Beira-Flor já era considerada uma dos favoritas ao título. Para muitos, a apresentação lembrou o célebre “Ratos e urubus, larguem minha fantasia” (1989), do carnavalesco Joãosinho Trinta (1933-2011). O enredo, que ficou com o vice-campeonato daquele ano, tratava de luxo, lixo, pobreza e festa.

Apuração

Os envolopes com as notas das escolas de samba do Grupo Especial do Rio de Janeiro começaram a ser abertos às 15h30min desta quarta-feira na Praça da Apoteose. Império Serrano e Grande Rio já começaram a apuração com penalização, com desconto de 0,2 e 0,5 pontos cada – a primeira por ter terminando o desfile dois minutos antes do tempo e a segunda por ter estourado o tempo de desfile.

O primeiro quesito a ter suas notas reveladas foi enredo, no qual Paraíso do Tuiuti, Mangueira, Mocidade Independente Padre Miguel e Portela ficaram com nota 10, já considerando o descarte da nota mais baixa. Depois, foram abertos os envolopes de evolução, no qual permaneceram em primeiro lugar Mangueira e Portela, únicas que somavam a nota máxima de 60 pontos. Mas no quesito seguinte, bateria, foi a vez da Mangueira perder seus primeiros décimos, com a Portela assumindo a ponta isoladamente no resultado parcial.

Em mestre-sala e porta-bandeira, boa parte das agremiações conquistou 30 pontos, mantendo a Portela na liderança. Na sequência, vieram as notas de comissão de frente, onde a escola teve seu primeiro desconto, perdendo três décimos e causado mudanças no resultado parcial. Quem assumiu o primeiro lugar foi a Beija-Flor, com Mocidade e Tuiuti em segundo e terceiro lugar respectivamente.

O quesito seguinte foi alegorias e adereços e trouxe poucas notas 10, com apenas a Tijuca conquistando a nota máxima. A classificação geral não mudou para os primeiros colocados. Em harmonia, Mocidade e Beija-Flor mantiveram empatadas e levaram a disputa pelo título para a reta final.

Com as notas fantasias, uma reviravolta: Mocidade e Beija-Flor caíram e a Salgueiro assumiu a liderança. Mas o último quesito, e primeiro a ser usado como critério de desampate, foi o samba-enredo, que definiu a Beija-Flor como a grande campeã.

A Paraíso do Tuiuti terminou em segundo lugar, seguida por Salgueiro, Portela, Mangueira e Mocidade. As seis agremiações retornam para o desfile das campeãs no sábado. Penalizadas, as duas escolas que caíram para a Série A foram Grande Rio e Império Serrano.

Resultado final:

Beija-Flor: 269,6 pontos

Paraíso do Tuiuti: 269,5 pontos

Salgueiro: 269,5 pontos

Portela: 269,4 pontos

Mangueira: 269,3 pontos

Mocidade: 269,3 pontos

Unidos da Tijuca: 269,1 pontos

Imperatriz: 268,8 pontos

Vila Isabel: 268,1 pontos

União da Ilha: 267,3 pontos

São Clemente: 266,9 pontos

Grande Rio: 266,8 pontos

Império Serrano: 265,6 pontos

PATROCINADORES

.