10 mitos e verdades sobre economizar na compra de passagens aéreas

https://parananews.net.br/wp-content/uploads/2020/01/Viagens.png

O preço das passagens aéreas pode variar significativamente de um dia ou até de um momento para outro. Para tentar aproveitar as melhores promoções e economizar na viagem, muitos passageiros adotam as mais diversas estratégias. Na busca pelo melhor preço, muitos passageiros ficam acordados de madrugada em busca de promoções, só fazem pesquisa no modo anônimo do navegador de internet e chegam a reservar a viagem com até um ano de antecedência. Se você faz parte desse time, saiba que essas estratégias são alguns dos principais mitos para economizar na compra de passagens aéreas, segundo especialistas.

“A gente recebe muitas dúvidas, e a maioria é mito. A principal dica para economizar é pesquisar bastante e acompanhar a evolução dos preços. Só assim para saber quando há uma promoção de verdade para a rota e a data da sua viagem”, afirmou Eduardo Martins, diretor nacional do Viajala, buscador de passagens e hotéis. Veja o que é mito ou verdade para economizar na compra de passagens.

Comprar passagem durante a madrugada é mais barato?

Mito

Não adianta perder noites de sono em busca de uma passagem mais barata. As promoções das companhias aéreas podem surgir a qualquer período do dia. A crença diz que durante o horário comercial as passagens são mais caras porque é a hora em que as empresas emitem os bilhetes para seus funcionários. Na prática, o histórico de preço mostra que isso é um mito. “Os preços variam muito. As promoções podem acontecer em qualquer horário, até de madrugada. Mas é um mito que durante a noite os preços sejam sempre mais baixos”, afirmou Eduardo Martins.

As melhores promoções acontecem às terças-feiras?

Mito

Muita gente ainda acredita que haja um dia específico da semana no qual as passagens sejam mais baratas. Esse dia seria justamente as terças-feiras. Segundo o diretor da Viajala, isso é apenas mais um mito. Em muitos casos, as companhias aéreas fazem grandes promoções aos finais de semana. Mas, de novo, não há uma regra para isso e elas podem acontecer a qualquer momento.

Passagem não tem preço fixo, mas existe um padrão?

Verdade

É impossível responder quanto custa uma passagem aérea. Os valores mudam de acordo com a data da viagem e a antecedência do voo. Segundo Eduardo Martins, o passageiro que acompanha a evolução dos preços tem mais condições se saber se aquela passagem está mais barata ou mais cara que a média. Esse padrão de preço serve apenas para aquela data específica. Em outras épocas do ano, o preço pode ser bem diferente. “Sou até um pouco repetitivo, mas a dica é sempre pesquisar com antecedência e acompanhar a tendência dos preços. Assim, quando há algum anúncio de promoção é possível ter certeza se o preço realmente caiu ou se é apenas uma pegadinha”, afirmou.

Viajar entre terça e quinta-feira costuma ser mais barato?

Verdade

Se não existe um dia da semana específico para a compra da passagem, a data em que o passageiro vai embarcar pode mudar o preço do bilhete. “Fugir dos finais de semana é sempre melhor. Segundas e sextas são os dias mais concorridos pelos passageiros corporativos, enquanto sábado e domingo são mais procurados por quem quer dar uma escapada de final de semana”, afirmou Martins. Segundo o diretor da Viajala, os voos que decolam de terça a quinta costumam ter o preço mais baixo. “É quando a demanda é menor e as companhias aéreas fazem mais promoções”, disse.

Quanto maior a antecedência, menor o valor da passagem?

Mito

Quanto mais próximo da data do voo, mais cara tende a ser a passagem. Mas o contrário nem sempre é verdade. “Essa história de comprar com um ano de antecedência é um mito”, afirmou Martins. A tarifa de um determinado voo nem sempre começa no valor mais baixo. O preço vai se adaptando conforme a procura. Segundo Martins, o histórico do buscador Viajala aponta que para voos domésticos o ideal é comprar com 45 a 60 dias de antecedência enquanto nos voos internacionais o período ideal é entre 70 e 150 dias antes da viagem.

Ter flexibilidade de datas para a viagem ajuda a encontrar melhores preços?

Verdade

Quem consegue ter flexibilidade para mudar em alguns dias a data da viagem tem mais chance de conseguir preços melhores. “Os períodos de Natal, Réveillon e Carnaval são os mais caros por conta da alta procura. No Ano-Novo, quem precisou voltar no dia 1º de janeiro pagou mais caro. Quem conseguiu voltar alguns dias depois pagou preços melhores”, afirmou Martins. Mesmo fora das épocas de alta temporada, a flexibilidade também ajuda. “Em vez de iniciar a viagem de férias no sábado, se puder esperar até a terça vai pagar mais barato”, disse.

Usar o modo anônimo diminui o preço da passagem?

Mito

Um dos grandes mitos em relação à compra de passagem é que há diferença de preço se o passageiro faz a pesquisa no modo normal ou anônimo do navegador de internet. Isso aconteceria por conta do histórico de pesquisas anteriores. A reportagem do UOL já fez inúmeros testes em épocas diferentes e nunca encontrou diferença de preço pelo simples fato de usar um navegador diferente (ou estar no modo anônimo). “Esse talvez seja o maior dos mitos. Não há nenhuma evidência sobre isso nem haveria motivo para fazer isso”, afirmou o diretor da Viajala.

Comprar direto no site da companhia aérea é mais barato e melhor que em agências de viagem?

Depende

Muitos passageiros utilizam os sites de agências de viagem para comparar o preço de cada companhia aérea e, na hora de fechar a compra, preferem fazer o pagamento direto no site da companhia aérea. Essa tática pode diminuir o preço final da passagem, já que muitas agências cobram uma taxa de serviço para a emissão do bilhete, o que não existe quando a compra é feita diretamente com a empresa aérea. Em alguns casos, porém, as agências de viagem podem ter preço menor que o da própria companhia aérea. Isso acontece quando uma agência negocia um grande número de passagens, recebe um desconto e consegue vender a um valor mais baixo ao seu cliente. Em voos internacionais, o passageiro deve ficar ainda mais atento. Algumas companhias aéreas estrangeiras cobram o valor da passagem em dólar. Nesse caso, o valor final pode variar de acordo com a oscilação do câmbio e o passageiro ainda terá de pagar o IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) de 6,38%. Nesse caso, a taxa da agência de viagem pode ser bem menor.

Comprar ida e volta juntas é melhor que trechos separados?

Depende

Em voos internacionais, comprar somente a passagem de ida pode sair mais caro que um bilhete de ida e volta. Até pouco tempo atrás, essa costumava ser a política de todas as companhias aéreas que operam no Brasil. Segundo o diretor da Viajala, essa prática começou a mudar com a entrada das companhias aéreas de baixo custo no mercado brasileiro. “Tudo depende dos trechos que serão voados. O importante é o passageiro sempre pesquisar todas as opções para saber qual é a mais vantajosa”, disse Martins. Além da questão financeira, voar sempre com a mesma empresa pode trazer outros benefícios como comodidade nos procedimentos de embarque e acúmulo de milhas.

Quando o dólar sobe, a passagem também aumenta?

Depende

Quase tudo na aviação é dolarizado, e as variações do câmbio impactam fortemente as finanças das companhias aéreas. É natural imaginar que, se o dólar sobe, o preço em real da passagem também vá aumentar. Na prática, porém, nem sempre isso acontece. “Essa é tendência, mas a lei maior é a da oferta e da procura. A empresa não pode aumentar o preço e voar com o avião vazio”, disse Martins. Em rotas muito procuradas, porém, o aumento da passagem é inevitável.

Paraná News comVinicius Casagrande/ Uol Economia

 

FacebookTwitterGoogle+linkedinemailMore
Copyright © Paraná News - A Informação com Credibilidade e Imparcialidade!